Sempre que Maynard James Keenan, o homem forte dos Tool e dos A Perfect Circle, vem a público assegurar o regresso de qualquer um dos colectivos a reacção geral é, compreensivelmente, de desconfiança: afinal, desde o Verão de 2014 que têm surgido notícias mais ou menos frequentes de um regresso aos discos da banda seminal de Keenan, o que até agora não veio a acontecer. O universo dos Tool tem, no entanto, visto avivada a esperança, já que Danny Carey, baterista dos norte-americanos, confirmou em Dezembro à Loudwire que a banda lançaria “sem margem para dúvida” um novo álbum durante este ano.

Com 10,000 Days, o último registo dos Tool, a completar este ano 12 primaveras de rotação e com o terreno totalmente mergulhado em incerteza no que respeita a novas edições, agradece-se que as coisas no campo dos A Perfect Circle estejam a desenrolar-se com relativa rapidez. Depois de um teaser divulgado na sua conta de twitter em Outubro passado, os californianos divulgaram no mesmo mês “The Doomed”, o primeiro inédito a ver a luz do dia desde “By And Down” – composto para a colectânea Three Sixty editada em 2013 -, e o que se especulava na altura ser o primeiro avanço para aquele que seria o quarto disco do supergrupo.

Os momentos iniciais de 2018 trouxeram com eles um novo patamar de definição na produção discográfica dos A Perfect Circle, que aproveitaram o primeiro dia do ano para reafirmar em definitivo a sua intenção de regressar aos álbuns, 14 anos volvidos sobre o lançamento de eMOTIVe. “Disillusioned” é assim o segundo single retirado do próximo registo da banda, um tema atmosférico, mais suave e delicado que a maior parte das composições da banda, com pianos a despir o coro de guitarras habituais e a matizar de tonalidades etéreas a canção. Por enquanto, desconhecem-se ainda mais detalhes sobre o próximo álbum de Maynard James Keenan à frente dos A Perfect Circle.

Ambos os temas serão lançados como singles em vinil de 10”, disponíveis na loja oficial da banda. Com os A Perfect Circle bem encaminhados para fazerem o seu regresso em 2018, resta saber se Maynard James Keenan põe os seus Tool no mesmo caminho. A ver vamos.