Longe de novos projectos desde o seu último trabalho em colaboração com David Byrne – o EP Strange Weather de 2014, – Anna Calvi regressa agora com aquele que será o seu terceiro álbum de originais e que se intitulará Hunter, com data de estreia prevista para finais de Agosto e o selo da Domino.

Produzido por Nick Launay (Nick Cave, Grinderman), nos Konk Studios, em Londres e com participações de Adrian Utley, dos Portishead e Martyn Casey, dos The Bad Seeds, Hunter antecipa-se ser um disco visceral, carregado de sexualidade, com um teor feminista vincado que tenta romper com as barreiras das leis da conformidade de género, sempre através de uma procura e aceitação constantes pela liberdade e identidade própria de cada um.

“Don’t Beat The Girl Out Of My Boy”, o primeiro single e vídeo do novo disco, revela desde cedo as suas intenções provocatórias e assertivas da virtuosa cantora e compositora britânica. Num vídeo consideravelmente simples, assiste-se a uma Anna Calvi numa espécie de quarto escuro, rodeada por bailarinos e bailarinas semi-nus, envoltos numa salada de corpos e caracterizada por muita sensualidade, erotismo, mas também por uma luta e dualidade entre dominância e submissão.

O feminino e o masculino mesclam-se, não só através desses corpos dançantes, mas também através da própria Calvi, que apresenta uma certa androginia com o seu guarda-roupa, maquilhagem e o seu comportamento destemido, lutador, mas igualmente delicado. Realizado por William Kennedy, que trabalhou já com Kendrick Lamar, e coreografado por Aaron Sillis, que se alia frequentemente a FKA Twigs, o vídeo mergulha num universo musical que, segundo a cantora, aborda “o desafio de se ser feliz (…) e a liberdade de cada um se identificar como prefere, sem as restrições da sociedade”.

O tema de avanço para o novo álbum funciona como um grito libertador e de afirmação para os que sabem que é possível ser-se dois num só: masculino e feminino, forte e vulnerável, robusto e delicado, presa e predador.

Hunter será apresentado, ao vivo, em Portugal no dia 19 de Outubro, no Hard Club, no Porto, e no dia seguinte, no Cineteatro Capitólio, em Lisboa.