O compositor britânico, Benjamin Clementine, vencedor de um Mercury Prize em 2015 com o seu álbum de estreia, At Least For Now – um registo em que combina pianos de tom clássico com chamber pop e spoken word -,  regressa a Portugal em março de 2018 para três datas, que se irão repartir por Viana do Castelo, Figueira da Foz e Lisboa.

Com um novo álbum recém-editado – I Tell A Fly saiu a 17 de setembro e é uma peça conceptual, originalmente composta como peça de teatro, sobre a cidade síria de Aleppo, a selva de Calais, a crise dos refugiados transversal a todo o disco, o Brexit e o mundo -, o londrino volta a pisar os palcos nacionais, depois de ter actuado este ano no Vodafone Paredes de Coura e de no ano passado ter pisado o Convento de São Francisco, em Coimbra, o Coliseu do Porto e o Coliseu de Lisboa.

Sobre os seus espectáculos em Portugal, Clementine confessou:

A primeira vez que toquei cá estava tudo esgotado, claro que fiquei chocado. Agora começo a acreditar que talvez tenha encontrado as pessoas que há muito procurava. Adorava poder vir para aqui viver. Sinto aqui o que desejo que aconteça em todos os sítios onde vou tocar, mas nem sempre acontece. Tenho muita sorte. Muita sorte em ser compreendido pelo povo português – Expresso

Benjamin Clementine foi descoberto em 2012 nas ruas de Paris, local onde durante quatro anos tocava dia após dia e dormia noite após noite. A Lisboa traz dois EPs – Cornerstone, de 2013 e Glorious You, de 2014 -, aqueles que foram os seus ensaios artísticos para os dois longa-duração que compôs.

O britânico actua no dia 26 de março no Centro Cultural, em Viana do Castelo e no dia seguinte no CAE, na Figueira da Foz, com o preço dos bilhetes a fixar-se nos €20 e €25, respectivamente. Benjamin Clementine pisa o palco do Campo Pequeno no dia 29, com o custo dos bilhetes a variar entre os €23 e os €40.

Lê também: Benjamin Clementine no Coliseu de Lisboa: Livro do Desassossego