Quase a roçar os 6 meses de viagens expansivas e transcendentais pelos horizontes largos, longínquos e globalizantes com que Migrations nos levou a bordo na sua miríade de camadas de sintetizadores que se espraiam pelo cosmos electrónico com os seus tentáculos de beats embrulhados em ambient, o último registo de estúdio de Bonobo editado em janeiro passado continua a apaixonar com a grandiosidade das paisagens sonoras que consegue cromatizar e a produzir ambiências despregadas de qualquer força gravitacional.

Bambro Koyo Ganda“, uma das composições do disco onde sopram as correntes marroquinas dos Innov Gnawa, foi convertido em single e o single em EP. Lançado hoje pela Ninja TuneBambro Koyo Ganda EP contém três temas no seu alinhamento: para além da versão presente no álbum, no EP que pode ser ouvido mais em baixo, pode encontrar-se aquilo a que Bonobo chamou de “versão analógica” e é fácil perceber porquê. Sem grandes artefactos electrónicos – embora também os haja -, que o elevem às camadas superiores da atmosfera, esta revisitação de “Bambro Koyo Ganda” faz-se de matéria fundamentalmente orgânica e tribal, pintado que é com as cores vívidas dos instrumentos tradicionais do Norte de África que lhe confere contornos mais genuínos.

A acompanhar as duas versões que habitam quase em realidades paralelas, Bonobo revela também a inédita “Samurai”, uma música que vai buscar o seu oxigénio electrónico a samples vocais em loop e às esferas mais groove que fazem parte da sua assinatura sonora. Simon Green, a.k.a. Bonobo, passa dentro de pouco mais de 1 mês por Lisboa e marca presença no NOS Alive a 6 de julho no Palco Heineken.