Ainda há poucos dias víamos aquela famosa desk assim não tão tiny ser escrevinhada e rabiscada pelas linhas do poderoso rock n’roll de leveza soalheira da australiana Courntey Barnett e do norte-americano Kurt Vile. Hoje, a série gravada para a All Songs Considered da rádio NPR, vê-se levitada pela densa e nebulosa melancolia dos Cigarettes After Sex no extremo quase quase oposto do espectro sonoro.

Num set com três temas a roçar os 15 minutos – que os colaboradores da estação de radio norte-americana classificaram como um dos mais silenciosos até hoje -, os texanos Greg Gonzalez e Phillip Tubbs embalaram uma plateia de meia dúzia de almas da mesma forma como embalam salas de espectáculos de milhares de pessoas: com uma guitarra dreamy, de riffs simples e aquáticos rematados por synths atmosféricos de fazer flutuar qualquer partícula de pó até ao éter.

Na apresentação, que se fez sem Jacob Tomsky nem Randall Miller, os Cigarettes After Sex apresentaram “K.” e “Apocalypse” do seu registo único – o álbum homónimo editado em Junho deste ano -, e “Nothing’s Gonna Hurt You Baby”, do EP I editado em 2012. A banda de El Paso passou pelo Hard Club, no Porto em finais de Novembro (foto-reportagem aqui) e toca esta noite em São Paulo, no Brasil.