Field Music: A estrada para nenhum lugar que passa por todos.

Lançar com um single de 6 minutos um álbum, como os Field Music fizeram ao novo Commontime (que será lançado a 05 de fevereiro), é uma ousadia que desobedece ao lugar-comum dos singles de ‘3 minutos’ (no máximo, 4) da cultura pop. Ousadia que é maior quando vinda de uma banda menos conhecida, porque sugere que a prioridade não é ter lugar nas ‘playlists’ das rádios, mas sim o prazer de criar a melhor música possível.

E todavia, “The Noisy Days Are Over” é um animado e fluído funk de seis minutos e meio, sobre um activo e boémio quarentão que se sente jovem demais para o sedentarismo da meia idade; uma canção longa, mas que poderia ter mais um minuto ou dois e mesmo assim não saturar os cérebros, tal a m(a)estria com que foi composta e produzida, estruturada em torno de um penetrante ‘loop’ de guitarra baixo, constantemente repetido até ao final, em compassos que parecem herdados dos Talking Heads de David Byrne, marcados por um efeito de percussão em garrafas, que é inevitável associar a bandas mais recentes como The Rapture ou LCD Soundsystem.

Porém, é na segunda metade da faixa que se revela a grandiosidade conceptual dos Field Music: primeiro, com a introdução de um solo de sax alto estridente como a resiliente juventude do protagonista, acompanhado por acordes de metais soprados; e sobretudo no último minuto, no qual a canção evolui para um jovial instrumental sinfónico adornado com agudos acordes de piano, cuja frescura faz o fim do mesmo parecer abrupto, precoce, como se o tema fosse um dos típicos singles de 3 minutos.

Tudo para agitar uma letra dissonante entre o habitual para um quarentão – The noisy days are over – e a realidade, na qual a banda acompanha o protagonista – and here we are instead -, com evidente cumplicidade no epílogo – hope that you can keep it up. Concluindo, uma nota final para o divertido videoclip, empaticamente protagonizado por Grassy, um artista quarentão que continua sendo uma jovem força viva da ‘movida’ de Sunderland, cidade dos Field Music.

Entretanto fica também já o segundo avanço para Commontime, este “Disappointed”.