Gwenno apropriou-se, no seu álbum de estreia a solo Y Dydd Olaf, de uma electrónica de impressão digital retro-futurista, carregada de elementos renascentistas subtis assentes em paisagens multicolores de sintetizadores que projectam filigranas musicais profundamente intrincadas e detentoras do mesmo tipo de magnificência gélida das falésias do seu País de Gales natal, e parece seguir no mesmo trilho nos primeiros sons que revela para o novo disco.

Longe dos tecidos sinistros e trágicos das composições mais recentes de Charlotte Gainsbourg mas igualmente de veia teatral e vincada nas construções vibrantes tecidas algures entre um dreampop febril e um electro-psych pulsante, a gaulesa regressa com um novo tema cantado em córnico, um idioma de origem celta falado principalmente na zona da Cornualha, no sudoeste de Inglaterra.

“Tir Ha Mor”, que em português significa “terra e mar”, assimila nos seus castelos de sintetizadores uma ambiência luxuriosa, esparsa, quase principesca e solene, não deixando de ser ao mesmo tempo tensa e negra na sua construção. O novo tema faz parte de Le Kov, o próximo álbum de Gwenno, que foi inteiramente composto na Cornualha, e apesar de não se qualificar como um trabalho conceptual, o sucessor de Y Dydd Olaf, o seu álbum de estreia a solo de 2015, encontra a sua matriz lírica nas lendas e mitos da região.

Le Kov de Gwenno Saunders – ex vocalista e teclista das The Pipettes -, chega com a promessa de vir forrado a 10 canções envoltas em brumas electrónicas e mares revoltos cantados em córnico, e tem data de lançamento marcada para 2 de Março, pela Gorilla vs. Bear.

Lê também: Gwenno: sem filiação nem tribo

Le Kov
01. Hi a Skoellyas Liv a Dhagrow
02. Tir Ha Mor
03. Herdhya
04. Eus Keus
05. Jynn-Amontya
06. Den Heb Taves
07. Daromres y’n Howl
08. Aremorika
09. Hunros
10. Koweth Ker