Não só de temas originais vivem os alinhamentos dos concertos de James Blake, e quem já teve oportunidade de ver o britânico ao vivo sabe que, à partida, serão algumas as covers que acabam por conseguir infiltrar-se pelo meio das composições que resultaram em três registos de estúdio – James Blake, Overgrown e The Colour In Anything -, ao longo de cinco anos.

Sejam canções de nomes de esferas tão distintas como Feist, Beyoncé ou Joni Mitchel, Blake tem tornado, em especial os últimos concertos da digressão norte-americana que terminou em meados deste mês, numa espécie de mostruário, não só do seu trabalho como da música que fez a História e atravessou várias décadas da cultura popular, particularmente a dos Estados Unidos.

Uma das canções que tem recebido atenção regular nas apresentações ao vivo de James Blake, “Vicent” de Don McLean – o senhor que celebrizou em 1971 o hino folk “American Pie” do disco com o mesmo nome -, foi agora captada num vídeo em que se assiste simplesmente ao britânico, em estúdio, longe da sua panóplia de sintetizadores e dedicado apenas às teclas do seu piano.

O tema, composto como tributo a Vincent Van Gogh e que integra originalmente o álbum American Pie – as primeiras palavras cantadas (Starry starry night) remetem inequivocamente para o pintor holandês -, foi também redesenhado oficialmente por James Blake, que o lançou oficialmente enquanto cover de estúdio, convertendo as suas ambiências folk numa confissão quase clássica, narrada pela voz inconfundível do britânico.