J.Viewz: A vossa ajuda é bem-vinda

Enraizado na produção electrónica e na arte visual, Jonathan Dagan procura continuamente formas de interligação e coerência entre diversos mundos, sejam na arte ou seja na abertura aos seus fãs e seguidores, com os quais gosta de se conectar e até partilhar o seu próprio percurso à medida que este acontece. Apesar de não ser propriamente um novato, o músico nascido em Israel e sediado em Brooklyn é um jovem talento e procura afirmar-se com projectos e concepções ambiciosas.

Conexão, muito em conformidade com a geração onde está inserido, é na verdade a maior característica do projecto j.viewz. Isso aliás até transparece no reino estético, com as suas composições electrónicas a incorporar muitas vezes sons da natureza e outras texturas mais orgânicas. Os dois álbuns que já lançou (Muse Breaks, e 2005, e rivers and homes, 2011) são levas suaves de batidas atmosféricas e progressivas na herança de nomes como Aphex Twin e DJ Shadow, onde a máquina electrónica não está completamente isenta de uma alma muito airosa e bucólica.

Como uma brisa suave, a música de j.viewz é contemplativa e vaga. Os apontamentos minimalistas de piano dão espaço para o acumular de sons atmosféricos e são suportados por batidas de hip-hop que lhe conferem dinamismo e groove. Entre temas instrumentais e diversas colaborações com vocalistas, a música de j.viewz tem também uma grande preocupação visual, com Dagan a produzir diversos videoclips específicos e trazer consigo um intrincado espectáculo visual. Esta incorporação com o aspecto visual da sua música já lhe valeu prestígio e uma nomeação para um Grammy em 2012, devido ao design único da versão física do seu segundo disco. j.viewz

Entretanto, em 2014, o artista criou aquilo que provavelmente será o seu maior trabalho até agora. Desde novembro desse ano que mantém em curso o DNA Project, um site que documenta em tempo real a criação de um disco. Deste projecto surgirá o seu terceiro álbum que será feito com a assistência e intervenção dos seus fãs, com os quais irá interagir para obter feedback, partilhar beats e samples e permitir que os mesmos se descarreguem, modifiquem e sejam livremente usados. Também será possível ouvir algumas faixas que já estiverem concluídas.

Previsto para ser lançado no início de 2016, o mais recente projecto de j.viewz apresenta-se com um cariz inaugural na forma como promove a interactividade e como olha para a música no regime da internet. Isto pelo menos na forma aberta como escolheu fazer o disco e como apresenta um novo conceito de artista. Aqui, as cortinas dos bastidores sobem e a ilusão da criação artística é desvendada em prol da partilha e do convite a entrar na “máquina”.

O caminho que Jonathan Dagan está a traçar é um que inevitavelmente suscita bastante intriga. Certamente será interessante entender que caminhos, uma mente abertura como esta poderá desbravar. Musicalmente, ou noutros campos.