Há fenómenos que não se percebem muito bem nem se explicam facilmente. Os Little Comets, uma das bandas provenientes do final dos ’00s e início dos ’10s que acompanhavam, quiçá um pouco tardiamente, o colorido cardume de bandas indie rock que floresciam das ilhas britânicas desde os primeiros anos do novo milénio, continuaram ao longo dos anos a lançar música nova cá para fora e a editar discos.

A ausência praticamente total de referências aos rapazes do norte de Inglaterra por parte da imprensa especializada não se explica com o que parece ser o declínio do indie rock, algo que se tem notado nos últimos anos do ponto de vista da exposição do grande público: bandas como os Vampire Weekend, The Vaccines ou Bombay Bicycle Club (mais), ou os The Maccabees e The Kooks (menos) – que se colocam, cada uma com as suas particularidades em esferas semelhantes às dos Little Comets, sempre se conseguiram manter na agenda mediática.

Com dois discos editados em menos de três anos – Hope Is Just a State of Mind, em 2015 e Worhead, em 2017, ambos praticamente negligenciados -, os Little Comets regressam com um novo tema que faz sentir que ainda se está em pleno 2011 a rodar In Search of Elusive Little Comets, o disco de estreia que os catapultou para os círculos indie rock mais concorridos.

“M62″ encontra, em 2018, o mesmo tom de guitarra embrulhado em eco que tem alinhavado os quatro discos até agora lançados pelos Little Comets e encontra também todas as nuances que tornaram a sua música imediatamente reconhecível e que faz recuar o tempo até ao tal colorido cardume de bandas indie rock que floresciam das ilhas britânicas. Menos pujante que as canções que eram presença incontornável nos clubes indie rock, mas inconfundivelmente vinda do cometa inquieto de Rob Coles, o novo tema faz parte de uma colecção de singles gravados nos últimos meses que serão lançados ao longo deste ano. Podemos esperar pelo menos mais três.

O single em versão 7” encontra-se disponível em edição limitada no site da banda e todas as encomendas virão com um CD gratuito. Em baixo, fica também uma for old time’s sake. “This one’s for dancing”.