T.O.L.D.
T.O.L.D.

No limbo de T.O.L.D. (The Order of Life and Death)

Aos vinte cinco anos, o produtor Daniel James prepara-se para lançar o seu primeiro longa duração It’s Not About The Witches já no dia 27 deste mês. Depois de “Lucifer’s Eyes” ter adoçado o apetite daquilo que o artista consegue fazer e de “Return Forever” nos ter deixado rendidos por completo à sua electrónica, o inglês voltou a surpreender com o último tema a anteceder a saída do disco, de nome “There’s No Truth”

E é com o seu projecto T.O.L.D. (The Order of Life and Death), que Daniel James dá asas a toda a sua criatividade para criar temas que merecem ser ouvidos e absorvidos. Através de synths e steel drums obtém fantásticas melodias electrónicas, que se fazem acompanhar por hinos que desencadeiam uma vertente pop dançável. Por de trás da composição destes temas, está toda a adolescência do músico. Desde cedo que começou a produzir música pop, lançando e metendo o seu toque pessoal em diversos temas na cena electrónica underground de Birmingham e Londres. Durante estes anos, veio também a moldar a sua sonoridade de modo a produzir sons arrojados e maduros.

Apesar da grande ênfase presente na electrónica de T.O.L.D., a parte lírica não foi esquecida, aliás, chega mesmo a ser um dos melhores aspectos do projecto. Nela, encontramos tanto referências bíblicas como citações de filósofos, dando maior profundidade à temática dos temas, ao mesmo tempo que se enquadra na melodia de cada uma; retratam o que vai na alma de Daniel James, como o próprio afirmou numa entrevista: “Tenho tendência a separar a minha música da minha linha de pensamento. Trata-se de uma libertação emocional em vez de uma inteligente. Há um lugar para todo esse pensamento; por vezes, é mais fácil expressar-nos através de uma canção do que por uma explicação”, revelou o inglês.

E foi nesta segunda feira que a versatilidade do cantor foi novamente confirmada com a mais recente amostra do futuro disco. Em “There’s No Truth”, Daniel James afasta-se da electrónica presente nos dois singles que o antecederam para apresentar um tema algo diferente do que aquilo que tem feito. Se os refrões nas músicas de T.O.L.D. eram dos seus pontos mais atractivos, porque não elevar a fasquia e inserir um coro gospel? Pois bem, é isso mesmo que acontece em “There’s No Truth”, caracterizada pelo seu início calmo e suave, com apenas uma guitarra e uma voz apaziguadora, que explode quando chega a um refrão repleto de elementos tradicionalmente pop.

É nesta balada de cariz tão pesado que Daniel James mostra novamente o lado mais filosófica das suas letras (“There’s no free will, I gave it to you”) ao mesmo tempo que lhe atribui uma face mais romântica (“There’s no truth, only you“). Para levar a cabo aquela que é, até ao momento, a sua música mais arrojada, contou com o produtor Tom Biller (Kanye West, Beck) e com um coro de igreja. Resultado final: absolutamente brilhante.

Pouco se sabe sobre It’s Not About The Witches mas “Lucifer’s Eyes”, “There’s No Truth” e “Return Forever” dão-nos grandes expectativas. Actualmente, Jamie xx é o senhor do mais recente movimento electrónico inglês, mas ele que se cuide pois The Order of Life and Death está aí para fazer estragos. A questão que se coloca até o dia 27 é só uma: será que não haverá danos colaterais? É esperar até domingo para ver se o entusiasmo por volta da música de Daniel James se comprova.