A descida dos anjos à Terra é rara. Imagine-se que nem a ciência ainda o consegui comprovar. Nem quando estes anjos encarnam nos The Black Angels é possível garantir que os vemos e, dado o denso psicadelismo sónico, não há como não concentrar a fé limitada aos ouvidos. E é com carimbo da Partisan Records que, das chuvas de Abril, descerá dos céus no dia 21 Death Song, o primeiro LP da banda desde 2013.

Os texanos abriram-nos as portas do seu próximo registo com “Currency” com a ambiência de quem faz música do passado no futuro: psicadelismo esculpido com riffs fortes e vocalizações espaciais. Com uma mensagem sócio-política, preocupada e sincera, o tema abre as hostilidade de um álbum que será produzido por Phil Ek, que já trabalhou em álbuns de Father John Misty e The Shins. 2017, para além de marcar o regresso ao estúdio da banda, é preenchido por uma digressão apoiada por outros grandes pilares da neo-psicadelândia como os A Place To Bury Stranges.

Já em Portugal, os The Black Angels têm agendado o seu concerto para o dia 10 de Junho, no NOS Primavera Sound, no qual não constará a banda de apoio.