Automatic Unearthed é o nome do mini-documentário lançado na semana passada pelos R.E.M. sobre o mítico Automatic For The People, o oitavo álbum dos norte-americanos editado originalmente em 1992 e um marco na carreira da banda fundada 12 anos antes por Michael Stipe, com 18 milhões de cópias vendidas e um segundo lugar no top de álbuns desse ano, feito que colocou na altura os R.E.M. com a etiqueta de maior banda do mundo.

Do disco, que agora celebra um quarto de século de rotação, foram extraídos nada mais nada menos que seis singles – “Drive”, “Man On The Moon”, “The Sidewinder Sleeps Tonite”, “Everybody Hurts”,  “Nightswimming” e “Find the River” -, todos eles parte indissociável do crescimento de qualquer alma que tenha passado, mesmo que ao de leve, pelos anos 90, e uma banda-sonora sonora incontornável da década.

A mini-película espelha o processo de criação do álbum, através de entrevistas com o vocalista Michael Stipe, Peter Buck, Mike Mills, Scott Litt, que se encarregou da produção de seis discos dos R.E.M, e John Paul Jones, baixista dos Led Zeppelin responsável pelos arranjos de orquestra, que narram a forma como o álbum se foi desenvolvendo ao longo de quase um ano.

O documentário, que pode ser visto na íntegra mais abaixo, não conta com a participação do então baterista da banda, Bill Berry, que deixou a indústria musical em 1997 para se tornar agricultor, o que deixou os R.E.M. na condição de trio até ao final. A banda viria a dissolver-se em 2011, logo após o lançamento de Collapse Into Now, no mesmo ano.