Papier Tigre
Papier Tigre

Papier Tigre: A encantadora excentricidade marginal da fusão

O funk original, norte-americano, é um famoso estilo de R’n’B que talvez muitos portugueses ainda estranhem, porque até à última década de 70, enquanto a democrática França esteve livremente exposta à evolução contemporânea da música afro – fosse a afro-americana (o soul e o funk) ou o africano cosmopolita afrobeat -, o Fascismo português foi ocultando aquela evolução, semeando uma ignorância que permitiu o insólito de, com 30 anos de atraso, o funk de Viagens de Pedro Abrunhosa e de Nascer da Soul dos Cool Hipnoise ter parecido aquilo que não era – um som novo, que Portugal ia descobrindo sobretudo através de Prince (já um ‘filho’ da geração de James Brown e George Clinton).

Ora, se o funk americano é um estilo estranho em Portugal – país que, por exemplo, ainda não acolheu concertos de Maxwell ou D’Angelo -, essa “Hibbie Jibbies” dos Papier Tigre é uma encantadora excentricidade, mais que marginal, é uma experiência mesmo fora da caixa! Partindo de uma original frase ‘riffada‘ de guitarra, a experimentalista “Hibblie Jibbes” (expressão que é um calão americano para a ansiedade, expressada pelo protagonista do video) está suportada numa sincopada batida funky, na qual aquela frase de guitarra repetidamente foi acamada até pouco após o meio da canção, uma batida que vai pautando o histriónico cante punk que, no final, ansiosamente chega a gritar “I’m afraid!”.
Punk?! Mas… Mas… Não é funk? É. Mas de fusão, com guitarras post-punk e noise rock que vão variando, por exemplo, de frases que podiam ser de Oneida para frases que podiam ser de Sonic Youth, com distorcidos riffs roufenhos incrustados, num tema de síntese, que apesar de vindo de França, está para o nordeste dos Estados Unidos como “Lazaretto” de Jack White está para a pop norte-americana do século XX. Escutem “Hibbie Jibbies” esperando apenas uma excelente canção cheia de ‘feeling‘, porque todo o resto é uma fusão que supera qualquer rótulo!

O disco novo dos Papier Tigre, The Screw, sai a 17 de Junho via Function Records.