Já fizeram as malas para Paredes de Coura? Não?! Então toca de ir buscar a mochila, carregar no stock de enlatados que se isto já estava bom agora ficou ainda melhor.

Não contentes com o facto de arrecadarem a reunião mais emblemática do ano, vulgo LCD Soundsystem, as confirmações somam e seguem… e como somam!

Ora vamos por partes.

Parte I: Cage The Elephant

Porque nem só de chickens se faz o Kentucky, os Cage The Elephant são neste preciso momento um dos nomes maiores do rock americano. O que quer que isso seja no caso deles. Quatro discos – Cage the Elephant (2008), Thank You, Happy Birthday (2011), Melophobia (2013) e Tell Me I’m Pretty (2015) – colocaram a banda de  Matthew Shultz, disco a disco, palco a palco debaixo dos holofotes quentes do rock’n’roll circus. E como se tornam quentes todos os palcos em que os elefantes montam a sua jaula. Quem esteve com eles em 2014 no mesmo Paredes de Coura sabe perfeitamente do que se fala. Sim, Schultz, és pretty e a gente adora-te, pá!

Parte II: Thee Oh Sees

No mesmo ano do senhor de 2014, Paredes recebia a paulada sonora que é John Dwyer e os Thee Oh Sees que este ano parece apostado em obter cidadania portuguesa. A máquina de elite imparável de fazer discos loucos de rock – são 16 entre 2003 e 2015 – tocam a dia 08 de Setembro no Reverence Valada  mas primeiro regressam ao Tabuão para armar o caos com o mais recente Mutilator Defeated At Last editado em 2015. Let’s Oh See them again?!

Parte III: Suuns

E como nos filmes a Parte III tem grande possibilidade de ser “O Regresso” esta é a terceira confirmação de um regresso. Desta vez cabe aos Suuns, que ainda a pouco vieram comemorar o Halloween ao Musicbox com Jerusalem In My Heart, regressar para bem juntinho de nós. E que melhor pretexto que um novo disco. Hold/Still sai já a 15 de Abril pela Secretly Canadian e promete ser uma viagem tridimensional de dissonâncias belas e experimentais. Hold/Still sucede a Zeroes QC e Images Du Futur. Para descobrir em baixo “Translate” e “Paralyser”.

Suuns: A claustrofobia ao serviço dos sentidos

Parte IV: Kevin Morby

Kevin é para os mais atentos o baixista dos Woods. Mas é também um dos melhores escritores de canções nascidos em terras americanas. Canções, daquelas que se incluem na definição segundo os dicionários escritos pelos mesmos nomes que ele próprio cita como referencias, Bob Dylan, Neil Young, Lou Reed e acrescentamos nós nomes cronologicamente mais próximos, Bill Calahan ou Cass McCombs. Harlem River de 2013, Still Life de 2014 e Singing Saw, a sair em Abril pela Dead Oceans são os discos que Kevin trás na alma para Paredes. Ah é mais um regresso depois do Primavera de 2015.

Confere em baixo as restantes confirmações para o Paredes de Coura deste ano:

 

Paredes de Coura: Mais música para o Tabuão

E vão três de uma vez para Paredes de Coura