Há semanas assim. Semanas onde o som carrega um peso e uma densidade maior. Onde as neblinas sónicas se entrecruzam por entre os galhos das melodias das árvores carregadas de cinza e canções. Será nevoeiro?! Será que algo arde sem se ver?

Arrancamos sem dó nem piedade com “Somewhere Over The Rainbow” e a viagem de Mark Kozelek até Oz, avançamos para os Garbage, os Fujiya & Miyagi, Joseph Arthur, Beth Orton e os Swans. Bat For LashesJarvis não iluminam nem de forma ténue e apenas com os Wild Beasts a esperança que algo de leve se aproxime nos conforta. Conforta mas não muito. Só as guitarras dos Dinosaur jr, dos SKATERS, de Car Seat Headrest e a doçura de Dustin Tebbutt e de Speedy Ortiz repõem alguma cor real às melodias carregadas que flutuam um pouco por todo o lado. No que toca a descobertas puxamos para a linha frente  os Yoni & Geti, novo projecto de Yoni Wolf dos WHY? e David Cohn dos Serengeti, a energia post-punk dos escoceses Man Of Moon, os Sharks In The Deep End e o trovadorismo estranho de Nicholas Allbrook., o ex-Tame Impala e homem forte dos Pond.