Dizem as teorias taoístas que tudo existe em formato dual no Universo e que a complementaridade é factor essencial a toda e qualquer existência. Luz, fogo, mulher, homem, água, sol, lua, escuridão, lado A e lado B, a paz e a brutalidade, o sonho e o concreto, o amor e desprezo, o suave e o áspero… e os convidados especiais que os Poliça de Channy Leaneagh reuniram em estúdio para complementar e aumentar o potencial sónico das paletas synthpop com que a banda de Minneapolis decidiu tingir o seu mais lançamento especial para o Record Store Day.

Há cerca de duas semanas o colectivo que milita nas fileiras da Mom + Pop Music – onde coabitam com Andrew Bird, Hinds, Jagwar Ma, Neon Indian ou Courtney Barnett –, tinha anunciado a edição de um 7’’ de edição limitada com “Still Counts”. Uma colaboração com o rapper Spank Rock que retira os Poliça dos caminhos habituais e abre as fronteiras da banda para terrenos pesados e industriais com elementos que os aproximam dos Marijuana Deathsquads, projecto de Ryan Olson que é, de certa forma, irmão dos Poliça onde Channy também colabora, embora mantendo ainda assim uma linhagem mais melódica e menos experimental. Agora, na ressaca do RSD e de sacos cheios de novos discos encontramos o outro lado do single lançado ontem.

Substituindo o lugar de convidado que era de Spank Rock pelos Boys Noize e voltando ao lugar pop de sonho e synth onde facilmente reconhecemos os Poliça, os norte-americanos revelam agora o vídeo para o outro lado do disco e abraçam assim a complementaridade dualista, avançando para os menos de quatro minutos de “Lipstick Stains”. Entre as manchas de um batom dreamy de imagens concretas, vamos encontrar Channy Leaneagh e a artista multidisciplicar Nkechi Njaka entregues a uma coreografia contemporânea de sol e sombras e verdes suaves.

Fica “Still Counts” e o vídeo realizado por Adam Dunn.