Ela é Susanna Wallumrød, ela é Susanna And The Magical Orchestra e é simplesmente Susanna. Desta vez, é mesmo simplesmente Susanna, embora a compositora norueguesa tenha passado os últimos 15 anos a deixar uma discografia de fragilidades, experimentações e deambulações por canvas de som, que tanto coloram o branco das neves do seu país natal de texturas de sonhos pop e de elementos jazz, como de experimentações electrónicas, folk, barrocas ou o que mais houver a jeito da imaginação.

Desta vez Susanna é simplesmente Susanna, e é enquanto simplesmente Susanna que a songwriter nórdica edita já em Fevereiro Go Dig My Grave, o seu 12º disco de originais. Wallumrød traz agora para o seu universo muito próprio a harpista suíça Giovanna Pessi, a acordionista Ida Hidle e a cantora e violinista folk Tuva Syvertsen, reunindo assim um quarteto de artesãs de som em torno de algumas canções externas à sua composição.

O novo disco de Susanna é um recantar de temas dos mais variados espectros sonoros, que vão desde os cancioneiros britânicos, às raízes do blues ou a clássicos contemporâneos como “Wilderness”, dos Joy Division ou “A Perfect Day” de Lou Reed, tendo como ponto comum os sentimentos de desespero e tristeza profunda. E como é na tristeza que nascem as mais belas obras de arte, Susanna estuda no novo disco – na prática e através da sua própria sensibilidade -, as formas como esses sentimentos são explorados na escrita de canções.

I am attracted to the sad songs, and how people have used music throughout the years; it feels like they use songs and singing as a way of processing and dealing with of the difficult times in their lives. There’s a lot of similarities in the dramatic ways of telling a story in the old English ballads such as ‘The Willow Song’ and ‘The Three Ravens’ and the American folk songs like ‘Go Dig My Grave’ – even if the newer folk songs has more of a straightforwardness to the tragedy.

O primeiro vídeo retirado de Go Dig My Grave foi filmado em Oslo por André Løyning e é precisamente a música de Reed sobre a qual Susanne confessa:

André Løyning had this idea of showing something different than probably most people first think of as a ‘perfect day’- the love and affection between two men, in a relationship, spending a day off together. I immediately loved the idea, and we spent some time looking for the right couple. The main reason for me to make this video is to be able to show people around the world a same-sex couple, and to promote the rights for people to love and live together regardless of gender. I think Løyning has made a gorgeous video to our version of the Lou Reed song.

A edição de Go Dig My Grave, produzido por Susanna com Deathprod, tem data marcada para dia 9 de Fevereiro pela SusannaSonata. Anteriorment,e tinham já sido reveladas as versões de “Freight Train” e do tema título “Go Dig My Grave”. Todas para ouvir aqui.

Go Dig My Grave
1. Freight Train (Elizabeth Cotten)
2. Cold Song (John Dryden/Henry Purcell)
3. Invitation to the Voyage (Charles Baudelaire/Susanna Wallumrød)
4. Rye Whiskey (Traditional)
5. The Willow Song (Anonymous)
6. Go Dig My Grave (Traditional)
7. Lilac Wine (James Shelton)
8. Wilderness (Ian Curtis, Peter Hook, Stephen Morris, Bernard Sumner)
9. The Three Ravens (Old English folk ballad)
10. Perfect Day (Lou Reed)

Susanna - Go Dig My Grave

Susanna – Go Dig My Grave