Depois de 18 anos sem um rasgo criativo no que aos discos diz respeito e, apesar de terem confidenciado no passado estarem a trabalhar num novo álbum, os The Jesus and The Mary Chain divulgaram o seu novo single, que dá pelo nome de “Amputation”, que apanhou a maioria dos fãs de surpresa e está já a dividir opiniões. Se, para uns, o novo tema carrega em si esperança de que o novo álbum compense a longa ausência dos discos por parte da banda, para outros o tema ainda não convence. O vídeo de apresentação da música trata-se de uma mostra de imagens em full speed, cartazes de Jesus, fotografias multiplicadas, imagens de extra-terrestres, caveiras e frases soltas numa verdadeira mistura alucinogénica que nos vem relembrar a velha atitude irreverente pela qual a banda sempre primou.

A dupla escocesa formada pelos irmãos Jim e William Reid anuncia agora o novo longa-duração Damage And Joy com lançamento previsto já para o início do próximo ano. A banda, que sempre bebeu influências dos Velvet Underground, formou-se em 1983 em Glasgow e tem-se reunido nos últimos anos para actuações um pouco por todo o mundo, tendo estado, inclusive, em Portugal no ano passado NOS Alive, onde apresentou o seu álbum mais influente, Psychocandy, de 1985. No entanto, desde Munki de 1998 que deles não se conheceu nenhum outro lançamento discográfico.

Na produção de Damage And Joy juntam-se Martin Glover, também conhecido por Youth, que não só produziu o disco como se encarregou das linhas de baixo presentes no disco, Phil King, ex-baixista dos Lush, e, também, Brian Young, o baterista que acompanha a banda ao vivo.