Will Samson é quase português. Tours e músicas escritas e gravadas por cá e com títulos em português estreitam uma ligação entre o músico inglês e o cantinho à beira-mar plantado.

Samson editou no crepúsculo de 2019, o seu último longa-duração, Paralanguage, disco escrito depois da morte de seu pai e consequente dor e depressão das quais se libertaria através de experiências com psilocibina, aquela substância que dá o “mágico” aos cogumelos mágicos. O disco transparece uma nova paz encontrada, vivendo mais como uma tela de fundo onde se podem ir acrescentando as nossas histórias do que um filme em nome próprio e sem capacidade de alteração do rumo da história.

De Paralanguage sairam os singles “Ochre Alps”, “Flowerbed” e “Beyond The Dust”, mas Samson encontrou uma versão inicial de “Lacuna”, um dos temas do disco, e recupera-a agora como novo single. As coisas que o tempo livre da quarentena faz. A história reza assim:

During the start of lockdown, I began to record some new song ideas on my 8-track. I grabbed a random cassette tape from the shelf, popped it in and pressed record. I didn’t think to check what may be on the tape first, since they’re usually full of recordings that have either been disguarded or already transferred onto my computer for mixing. Out of curiousity, I pressed rewind to see what was on there and was amazed to find this original idea for Lacuna, that I had completely forgotten about. I liked it so much that I sent the track over to my violinist, Beatrijs De Klerck, who then added a string part. – Will Samsom

A versão do disco e esta “Original Cassette Version” em baixo para ouvir e desligar o dia lá fora da mente.